Pais

Por Ernesto Lazari

rurais

Homem do campo, simples, marcado pelo sol e pela chuva, calejado de tanto trabalhar, mãos ásperas, rosto trigueiro. Este é meu pai. Trabalha de domingo a domingo, com hora certinha para levantar, mas sem hora para dormir. E tudo isso para quê? Para mudar o destino dos filhos, três, os quais tiveram tudo que os pais não puderam ter. Educação, conforto, amor.

Então me pergunto, por que pessoas como meu pai e minha mãe são tão facilmente subjugadas? Por se vestirem de forma simples, por não terem um rebuscamento enquanto falam? Ou por simplesmente viverem em uma sociedade que não valoriza quem os sustenta, que reclama do preço de uma verdura sem saber o desgaste físico que é gerado para produzir uma bandejinha de tomate, uma porçãozinha de feijão?

Penso bastante em uma situação que aconteceu com eles em um aeroporto, quando um indivíduo voltou-se para meus pais e disse que eles estavam no lugar errado, que ali não era a rodoviária. De onde é que gente assim sai? De uma estrutura social desestabilizada que cria pessoas classistas e hipócritas?

Dinheiro, status, aparência, classe, sempre são fatores determinantes na sociedade contemporânea, e não adianta dizer que não, porque seria pura demagogia. Kate Carraway fala sobre essa experiência humana classista, em que “deveria ser mais difícil para essa geração, uma geração de pessoas que são a-históricas em nosso pensamento e cujos valores inclinam-se cada vez mais para a meritocracia real, …olhar em volta e ver o mais interessante da experiência humana, tanto fora quanto como parte de algum tipo de classe”. Dessa afirmação, concluo que o que aprendi durante o meu desenvolvimento, na roça, com meus pais, é incomparável a diversas vivências contemporâneas, pois foi algo além-classe, aprendi a ver as pessoas não como pertencentes de grupos x, y ou z, aprendi com toda a humildade, ver as pessoas como simplesmente o que elas são: Humanas.

 

Referência bibliográfica:

CARRAWAY, Kate. “Classismo”. Disponível em: <http://www.vice.com/pt_br/read/classismo&gt;.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: