A coragem de errar e as ondas que se vão…

1 Diz-se que não há mais mobilização por parte dos jovens, dos estudantes e dos inconformados. Diz-se que o país nunca mudará se seguirmos o caminho que sempre seguimos e nos contentarmos com o emprego que nos apresenta. E que não há maior preocupação entre os desmiolados do que as novas versões lançadas pelos novos cantores e cantoras de sertanejo universitário. Diz-se tudo isso, e mais um pouco…

Diz-se que o essencial é combater a corrupção e que se não fosse por suas práticas e desvios institucionais, estaríamos nos eixos do progresso. Estão aí, para todos ouvirmos, as falas e os discursos que propagam em alto e bom som que se não fossem os maconheiros, as feministas e os movimentos negros, talvez fossemos uma sociedade mais atenta ao que realmente deve nos preocupar e não nos preocuparíamos em dividir o que já é dividido. Diz-se que cotas e bolsas criam preconceitos e entraves sociais dos maiores que podemos ter e que não é possível viver desse modo, enquanto os deputados e senadores enchem seus cus e seus jatinhos com nosso dinheiro.

2

Diz-se que indígenas são vagabundos, não gostam de trabalhar e são, afinal, uma afronta à civilização; discurso novo, mas que Caminha se orgulhava de fazer alguns anos atrás. “Não atrapalhem o desenvolvimento; esta terra é fruto de trabalho e investimento”. Diz-se isso, sem nenhum pudor e com a maior das prioridades. Índios e índias, seus filhos e avós, deêm espaço a nós e, se quiserem, juntem-se a nós. Aliás, “cubram suas vergonhas”, enfeitem-nos com seus colares e sejam nossa mão-de-obra. Vocês, se bem educados, bem civilizados serão.

Diz-se que os impostos são altos e que o desenvolvimento é travado pelas amarras burocráticas. Quem sabe tudo isso realmente não seja verdade? Diz-se que pobre é vagabundo porque quer, como Locke diria em dias de raiva. Estão aí as demonstrações claras de que quando se realmente tem um objetivo em mente e se trabalha suado, as coisas darão certo. Diz-se isso, mas não se imagina que muito possivelmente o presidente da Coca-Cola Company não pense assim, na rigidez desse conceito.

Diz-se que não há mais liberdade de expressão. Que posições divergentes são perseguidas, sabotadas e colocadas por baixo do tapete.  Diz-se que não se podem mais fazer piadas como antigamente, porque a patrulha está logo ali, pronta para manchar mais um humorista de sucesso. Estamos em um mundo chato e cerceado, no qual o ir e vir livre e espontâneo já não encontra mais espaço.

3

Das críticas e ondas alarmistas, direitos são conquistados e pessoas ficam a um passo do engajamento ativo. Medidas e discursos conservadores inflamam aqueles que as derrubarão, livre e democraticamente, como nos acostumamos a ser. Não mais se questiona a liberdade de ir e vir ou o fato de se dizer ou não o que se diz por aí. Questiona-se, como se espera que seja, o conteúdo do que se diz. Nada mais livre do que isso. Locke mesmo concordaria com isso, em dias nem tão raivosos assim.

Discussões sempre teremos e argumentos sólidos sempre usaremos. Faz parte. Dia a dia, concretizam-se acessos antes restritos e o mundo se comunica com pessoas antes marginalizadas. Isso incomoda? Sim, como sempre incomodou. Imperadores e rainhas nunca gostaram de perder seus tronos e lutaram até o fim para poderem sentar confortavelmente neles e mandar o primeiro que vissem para a fogueira: “Queimem-na!”. Militares não devem ter gostado de ter que soltar alguns barbudos de suas prisões, assim como não gostamos hoje em dia de ter que mudar nossos hábitos pelo modo como se tratam as domésticas. Ondas e ondas sempre vêm e sempre se vão. A praia nunca é a mesma.

Diz-se muita coisa, de todos os lados e por todas as gentes. Isso é bom. Faz parte de nosso processo de amadurecimento. “Pô, o que ela falou até faz sentido?”. “Poxa, erramos nessa, devíamos ter discutido mais”. Faz parte, está aí na nossa vida. Da vida, um aprendizado: tenhamos a coragem de errar e para todo o sempre o prazer de lutar.

Vinicius Prado Januzzi é petiano, ainda que depois desse texto, saia oficialmente do grupo. Tenhamos a coragem de errar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: