Despedida

É como um pedaço que se perde, mas que ao mesmo tempo ganha vários remendos. Tem coisa que fica bonita assim remendada, com um jeito até moderno e renovado. Só que outras, por outro lado, não conseguem disfarçar tão bem o vazio do pedaço perdido. Cada uma leva seu tempo para se acostumar com o novo visual.

Quem nunca ficou sem saber o que dizer quando vai ficar sem ver uma pessoa por um tempo… Momento que algumas vezes pode carregar aquele medo silencioso de que seja para sempre? E que são seguidos de frases doces, e cheias emoções sinceras. Boa sorte. Felicidades. Sucesso. Sinto muito. Saudade.

Pior que a sensação da despedida, é a da não-despedida, se é que essa palavra existe. Quando você fica sabendo que alguém se foi sem dar tchau. Isso mostra como a despedida fica perdida sem a presença, até porque é mesmo dela que a gente se despede. E como se fosse possível, ainda pior é quando essa partida é definitiva. Aí normalmente não há remendo que aguente, só trocando tudo mesmo.

A questão é que a despedida tem, na maioria das vezes, dois lados: o de quem vai, e o de quem fica, quando não são os dois que se afastam em direções diferentes. A diferença na maneira de lidar com a despedida em cada lado depende da mudança. É ela que ameniza a saudade, gera curiosidade, abre a cabeça, e muitas vezes faz muito bem… Quem está disposto a mudar, lida bem com despedidas.

Esses últimos tempos foram tão cheios de adeuses que eu me senti inspirada a escrever  um pouco sobre os muitos sentimentos causados pela partida de alguém. Mas ao escrever sobre o assunto, me sinto como no momento de despedida, com tom breve e sincero, e com grandes dificuldades de expressar as palavras de forma objetiva.

Quando percebo, o texto começa a ficar cheio de sentimentalismo, exatamente como o assunto que queria tratar. Não que eu seja covarde, mas admito ter medo ao terminar um texto sem saber quando escreverei de novo, ou quando quem está me lendo me lerá de novo. É uma questão de mudança, e eu fico tentando me acostumar com o novo visual.

Mas calma, logo logo estou de volta, e conto em detalhes tudo que me passou nesse tempo sem contato. Aposto que serão muitas coisas novas a dizer, que nem nos daremos conta do tempo que passou. Pelo menos agora, pela escrita, posso me despedir da não-escrita desse período de ausência, se é que essa palavra existe. E, mesmo sem dizer nada, gostaria de dizer muita coisa. Boa sorte. Felicidades. Sucesso. Sinto muito. Saudade.

Um texto da petiana intercambista e saudosa, Ariadne Santiago.

 

Anúncios

Um comentário em “Despedida

Adicione o seu

  1. Com é bom deixar um traço no mundo .
    Você é uma felizarda.
    Neste mundinho novo é proibido expressar e ter emoções verdadeiras,neste Reality falso, cheio de silicones, artifícios virtuais e internéticos, fotoshopes e botox. Uma emoção verdadeira e sincera é chocante.
    Quase chorei mesmo sem conhecê-la.
    Acho que estou com saudades daquilo que nunca vi.
    Felicidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: