Cinema Político – Cinema Independente

Olá Pessoal!

Semana que vem, começaremos nossas sessões do Cinema Político novamente. Nosso tema será: Cinema Independente.

Nossa intenção é reafirmar o caráter expressivo da arte cinematográfica, em oposição ao seu lado puramente comercial.

Isto é, exibiremos filmes que tenham sido produzidos e dirigidos sem o patrocínio de grandes estúdios e distribuidoras. Contamos com a ajuda de algumas dicas e parcerias de nossos freqüentadores mais assíduos.

Queremos contar com as sugestões e percepções de vocês acerca do calendário que montamos para o primeiro semestre, assim como pedir mais sugestões para o segundo semestre!

Por hora, passaremos por 5 ciclos temáticos dentro deste tema:

Infância e Juventude

Multiculturalismo

Cinema Etnográfico

Ação Coletiva

Guerra e Repressão

Buscaremos, em torno destes temas, levantar questões referentes aos seus dilemas, problemas e debates, tanto em relação à Ciência Política, como, de forma geral, em relação à sociedade.

 

1° Semestre:

31/03 ESPECIAL SEMANA DO CALOURO – Parceria Associacao Viver, Política na Escola e PET/POL

Monjolo: tá todo mundo feliz? (2010, Brasil, 38 min)

O documentário mostra o drama de várias famílias que subsistiam do lixão na Vila Estrutural no Distrito Federal e que foram removidas à força para uma Área de Proteção Ambiental Permanente pelo Governo do Distrito Federal.

 

Ciclo Infância e Juventude

 

07/04 CRIANÇAS INVISÍVEIS (2005, Itália, 116 min, diretoraes: Mehdi Charef, Kátia Lund, John Woo, Emir Kusturica, Spike Lee, Jordan Scott, Ridley Scott e Stefano Veneruso)

Sete países, sete diretores, sete realidades infanto-juvenis retratadas em histórias curtas, mas, todas com grande profundidade no que tange o mundo criança dos respectivos países (Serão exibidos 6 documentários).

 

14/04 Minha  vida em cor-de-rosa (1997, Franca, 88 min, diretor: Alain Berliner)

Menino bastante retraído decide se vestir apenas como menina, causando um grande furor na pequena cidade onde mora. Sua família deve então viver com a possibilidade de que ele seja gay e deve superar todos os transtornos que a situação gera.

 

28/04 Dente Canino (2009, 94 min, Giorgos Lanthimos)

Dente Canino conta a história de uma família que tem três filhos e moram em uma casa isolada no subúrbio. Em volta dessa casa há uma cerca muito alta, que as crianças nunca passaram. Ou seja, os filhos do casal nunca tiveram nenhum contato com mundo exterior. Quem cria, educa e ensina todo para as crianças são os pais, porém, excluindo toda e qualquer influência do mundo lá fora. A situação piora quando as crianças começam a fazer questionamentos que não fazem mais sentido no mundo em eles vivem.

 

Ciclo Multiculturalismo

 

05/05 Procurando Elly (2009, 110 min, diretor: Asghar Farhadi)

Após passar anos na Alemanha, Ahmad (Shahab Hosseini) volta ao Irã e seus amigos organizam três dias de comemoração. Sem que o resto do grupo saiba, Sepideh (Golshifteh Farahani) convida para a festa a jovem Elly (Taraneh Alidoosti), professora de sua filha. Ahmad, que acabou de se separar da esposa alemã e gostaria de começar uma nova vida com uma iraniana, vê em Elly a mulher perfeita. No dia seguinte, no entanto, ela desaparece misteriosamente. O clima entre os amigos torna-se amargo e acusatório e eles iniciam uma pequena investigação para descobrir o paradeiro da moça.

 

12/05 Howl (2010, EUA, 85 min, diretor: Rob Epstein and Jeffrey Friedman)

Howl é um filme americano experimental que explora o debut da Sex Gallery e a obscenidade dos trials de 1957 do poeta Allen Ginsberg e seu poema Howl. O filme foi escrito por Rob Epstein and Jeffrey Friedman, e estrela James Franco no papel de Ginsberg.

 

Ciclo Cinema Etnográfico

 

19/05  Muito Além do Cidadao Kane (1993, Reino Unido, 105 min, diretor: Simon Hartog)

Documentário detalha a possecao dominante do grupo Rede Globo na sociedade brasileira, discutindo a influencia do grupo, seu poder e suas conexoes políticas. O presidente e fundador da Globo, Roberto Marinho é a crítica principal do filme sendo comparado com o personagem ficcional Charles Foster Kane, criado por Orson Welles no ano de 1941 para o filme Citizen Kane [Cidadao Kane]. Segundo o documentário, Marinho e seu grupo midiático se engajam no mesmo esquema de Kane, manipulando a mídia e a opiniao pública.

 

26/05 Eu, Um Preto (1958, Franca, 70 min, diretor: Jean Rouch)

História de um rapaz ordinário que vive em Treichville e que criou duas personalidades de si mesmo. Atravez disso, ele mostra como o ocidente tem criado figuras mitológicas em sua terra natal. Moi, un noir mostra a era de possessoes coloniais, mostrando nao só a dificuldade de indivíduos simples, como a desigualdade que habita tal lugar.

 

02/06 Novos Tempos (2006, Brasil, 52 min, diretor: Xinã Bena)

Dia-a-dia da aldeia Huni Kui de São Joaquim, no rio Jordão, Acre. Augustinho, pajé e patriarca da aldeia, sua mulher e seu sogro, relembram o cativeiro nos seringais e festejam os novos tempos.

A gente luta, mas come fruta (2006, Brasil, 39 min, diretor: Ashaninka)

O manejo agroflorestal realizado pelos Ashaninka de Apiwtxa. No filme eles mostram seu trabalho para recuperar os recursos da sua  reserva e repovoar seus rios  e suas matas com espécies nativas; e também sua luta contra os madeireiros que invadem a sua área na fronteira com o Perú

 

Ciclo Ação Coletiva

 

08/06 The Take (2004, Canadá, 87 min, diretor: Avi Lewis)

Comovente e inspirador, “The Take” mostra a história de operários argentinos, desempregados após anos de políticas neoliberais, que tomam as indústrias falidas, reativando-as. Única saída para sobreviver, enfrentam os mais diversos setores de poder. Força de vontade, coragem e solidariedade fazem parte da luta desses homens e mulheres.

 

16/06 ESPECIAL SEMANA POLÍTICA

Essa é a Cara da Democracia (2000, Estados Unidos, 72 min, diretoraes: 100 ativistas)

Documentário que marca a fundação do Centro de Mídia Independente, feito por 100 ativistas durante os protestos contra a OMC em Seattle, e como os grupos se organizaram com base à democracia direta. Mais de 100 mil pessoas se manifestavam diariamente, com passeatas, comícios e bloqueios, resistindo á repressão da polícia e ás calúnias da mídia. Nesse movimento os ativistas dão seus depoimentos do que fizeram, pensaram e sentiram ao mostrar com otimismo a possibilidade real de uma nova organização social baseada na ação direta e na participação popular. Um momento histórico para os movimentos sociais anticapitalistas, os quais através da juventude se levantaram contra o poder econômico do capital e de suas conseqüências. Com narração de Susan Sarandon e trilha de Rage Against Machine.

 

23/06 Terra para Rose (1987, Brasil, 84min, diretor: Tetê Morais)

A partir da historia de Rose, uma agricultora sem terra que, com outras 1.500 famílias participou da primeira grande ocupação de uma terra improdutiva. Retrata o início de um polêmico e importante movimento social, o MST. Rose deu luz ao primeiro bebê que nasceu no acampamento e foi morta em estranho acidente.

 

Ciclo Guerra e Repressão

 

30/06 Democracia Militar (2006, Brasil, 20 min, Direção: Vinicius Possebon “Moscão”)

A Constituição Brasileira garante a livre manifestação. Mas parece que, para alguns governos estaduais, isso só está no papel. Conheça Santa Catarina, e sua repressão.

Do Horror à Memória (2006, Brasil, 23min, Direção: Alexandre Xavier, Diogo Ruic, Laio Manzano e Marilia Chaves)

A ditadura argentina causou a morte de 30 mil pessoas, uma das mais sangrentas da América Latina. A Escola da Marinha (ESMA), um dos principais centros de detenção clandestina do país daquele período, aprisionou, torturou e assassinou 5 mil pessoas. Não é pouco. Por tudo isso, em 2004, o então presidente Nestor Kirchner, tomou uma das decisões mais simbólicas em relação a este assunto: transformar a ESMA em um museu para a memória.

Noite e nevoeiro (1955, França, 32 min, Direção: Alain Resnais)

Um filme sobre os campos de concentração nazistas, encomendado pelo Comitê de História da Segunda Guerra Mundial. As paisagens serenas e coloridas do presente procuram esconder, por trás das flores e da grama verde, horrores passados e futuros.

 

07/07 Wardance (2007, EUA, 107 min, Direção: Sean Fine, Andrea Nix)

Numa zona de guerra extremamente conflituosa, onde a violência humana parece não ter limite para tanta barbárie, surge, numa escola infantil, a música. As crianças, muitas delas que testemunharam assassinatos de seus pais, sequestros de seus irmãos, a perda de tudo, tem um momento para poder esquecer o desespero de suas vidas nos campos de refugiados para participar do maior concurso de música e dança de Uganda.

 

14/07 O beijo da mulher aranha (1985, Brasil/EUA, 120 min, Direção: Hector Babenco)

Em uma prisão na América do Sul, dois prisioneiros dividem a mesma cela. Um é homossexual e está preso por comportamento imoral e o outro é um prisioneiro político. O primeiro, para fugir da triste realidade que o cerca, inventa filmes cheios de mistério e romance, mas o outro tenta se manter o mais politizado possível em relação ao momento que vive. Mas esta convivência faz com que os dois homens se compreendam e se respeitem.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: