Cronograma Cinema Político 2/2010

Filmes Cinema Político 2º/2010

30/09 – Metrópolis (Metropolis. Direção: Fritz Lang. Alemanha, 1927, 100 min.)

No futuro, a sociedade de Metrópolis está dividida em dois grupos: os trabalhadores, que vivem debaixo de terra e fazem as máquinas funcionar e a classe dominante que vive à superfície. Os trabalhadores são dirigidos por Maria que quer encontrar um mediador entre a classe dominante e os trabalhadores, pois ela acredita que entre o cérebro e os músculos é necessário um coração. Maria encontra Freder Fredersen, o filho do senhor de Metrópolis, Joh Fredersen, e apaixonam-se. Entretanto, Joh decide que os trabalhadores já não são necessários a Metrópolis e usa um robô para fingir que é Maria e fomentar a revolução entre a classe trabalhadora para eliminá-la.

07/10 – Tokyo! (Tokyo!. Direção: Joon-ho Bong, Leos Carax e Michel Gondry. Japão/França/Alemanha/Coréia do Sul, 2008, 112 min.)

Em Tokyo!, três dos maiores diretores do mundo examinam a natureza nada típica e inesquecivel da megalópole japonesa que não para de crescer. Gondry, Carax e Joohn-Ho dão vida a personagens que vivem nessa cidade em constante movimento… Um filme, narrado como uma grande Rapsódia feito por três diretores, três histórias e o espírito de uma grande megalópole, a cidade de Tokyo!

14/10 – A liberdade é azul (Bleu. Direção: Krzysztof Kieslowski. França, 1993, 97min)

Bleu, A Liberdade é Azul, (1993) é o primeiro e é um drama. Julie (Juliette Binoche ) perde o marido (famoso compositor) e a filha pequena em um acidente de carro. Tenta se matar mas não consegue pois se acha fraca para fazer isso. Fica só. E ser livre é, muitas vezes, difícil. Um flautista de rua lhe diz que é preciso se agarrar a algo mas ela já não quer mais nada pois bens, recordações, amigos, vínculos, são tudo armadilha. Gostaria mesmo é de pular no espaço, no céu azul, mas no fundo sabe que não se pode renunciar a tudo. Kieslowski transforma dor em sublimação.

21/10 – Ao Sul da Fronteira (South of the Border. Direção: Oliver Stone, EUA, 2010, 78min.)

O diretor Oliver Stone viaja por seis países da América do Sul e ainda Cuba, em uma tentativa de compreender o fenômeno que os levou a ter governos de esquerda na primeira década do século XXI. Através de conversas com Hugo Chávez (Venezuela), Cristina Kirchner (Argentina), Evo Morales (Bolívia), Luiz Inácio Lula da Silva (Brasil), Fernando Lugo (Paraguai), Rafael Correa (Equador) e Raul Castro (Cuba), é analisado o modo como a mídia acompanha cada governo e o maneira como lidam com os Estados Unidos e órgãos mundiais como o FMI.

28/10 – Valsa com Bashir (Waltz with Bashir. Direção: Ari Folman. 2008, 90min.)

Em uma noite num bar, um velho amigo conta ao diretor Ari Folman sobre um sonho que tem repetidamente no qual ele é perseguido por 26 cães ferozes. Toda noite o mesmo número de feras. Os dois homens concluem que existe uma ligação entre o sonho e sua missão no exército de Israel na primeira Guerra no Líbano no início dos anos oitenta. Ari Folman se surpreende por não conseguir lembrar de mais nada sobre aquele período de sua vida. Intrigado por esse mistério, ele decide encontrar e entrevistar seus velhos amigos e companheiros espalhados pelo mundo. Documentário em animação vencedor do Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro.

04/11 – Concorrência Desleal (Concorrenza Sleale. Direção: Ettore Scola. Itália, 2001, 110min.)

Umberto (Diego Abatantuono) é um alfaiate que repentinamente começa perder sua clientela para uma loja vizinha, de propriedade de Leone (Sergio Castellitto), que oferece roupas a preços mais baixos. Apesar da rivalidade, os filhos de ambos demonstram grande amizade entre si. Até que um dia vêm a público as diferenças que os concorrentes cultivavam em sigilo: durante uma discussão, Umberto se refere de forma depreciativa ao fato de Leone ser judeu, condição que ele ocultava. A polícia fascista presencia o bate-boca e o comerciante passa a ser perseguido, perdendo sua loja, seus direitos e sua dignidade. Ao testemunhar a desgraça do rival, Umberto se arrepende e trata de fazer o possível para ajudá-lo.

11/11 – Sessão Especial: IV Semana Política (Filme com diretor)

18/11 – Fora de Controle (Changing Lanes. Direção: Roger Mitchell. EUA, 2002, 99 min)

Manhattan, Nova York. Uma sexta-feira santa se mostra um dia bem negro para Gavin Banek (Ben Affleck) e Doyle Gibson (Samuel L. Jackson), quando os carros deles sofrem uma colisão. Banek, um advogado, precisa ir ao tribunal para levar uma procuração que dá a empresa do sogro, Stephen Delano (Sydney Pollack), o direito de administrar uma fundação com capital de US$ 107 milhões. Como estava com muita pressa, deixou um cheque em branco para Gibson consertar seu carro e foi embora, pois o carro de Gavin podia rodar enquanto o de Gibson estava bem avariado. Devido a este acidente Gibson chegou atrasado ao tribunal, onde lutava pela posse dos dois filhos. Quando entrou na corte tudo estava acabado, com sua ex-mulher e seus filhos iriam morar no Oregon. A situação também não estava nada boa para Gavin, pois na hora de apresentar a procuração não a achou e rapidamente concluiu que a deixou no lugar do acidente. Deste momento em diante, cada um destes homens se sente cada vez mais prejudicados e farão todo o possível para prejudicar um ao outro em uma luta insana e fora de controle.

25/11 – Filme PIRATA (Filme com o diretor) (FILME PIRATA. Direção: William Alves. Brasil, 2010, 52min)

O transporte coletivo, que afeta o cotidiano de milhares de moradores do DF, envolve lutas de poder, relações entre diversos atores sociais, personagens, histórias e diversos modos de vida e apropriações do espaço urbano. O Filme Pirata se propõe a representar o lado humano e o modo de vida de alguns desses personagens e suas interações e interferências no espaço urbano. O cotidiano é palco tanto para a expressão da espontaneidade e criatividade de diversos personagens, com os mais variados modos de vida, quanto das desigualdades sociais demarcadas no próprio espaço urbano.

02/12 – A história oficial (La historia oficial. Direção: Luis Puenzo. Argentina, 1985, 113 min)

Na Buenos Aires dos anos 80, Alicia e seu marido Roberto vivem tranqüilamente com Gaby, sua filha adotiva. Porém, após o reencontro com uma velha amiga recém-chegada do exílio, Alicia começa a tomar conhecimento da cruel realidade do regime militar argentino, passando a questionar todas as suas certezas e o que considerava como verdade. Uma realidade para a qual Alicia não estava preparada, mas que agora terá de enfrentar com todas as suas conseqüências.
Um dos mais importantes filmes do cinema político mundial, A História Oficial é vencedor de vários festivais de cinema internacionais, incluindo o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, além da Palma de Ouro de Melhor Atriz para Norma Aleandro.

09/12 – O Jardim dos Finzi-Contini (Il Giardino dei Finzi-Contini. Direção: Vittoria De Sica. Itália/Alemanha, 1970, 94min)

o final dos anos 1930, em Ferrara, Itália, os Finzi-Contini são uma das importantes famílias da cidade. São aristocratas, ricos e judeus. Os filhos mais velhos – a bela Micol e o refinado Alberto – sempre reúnem os amigos para disputadas partidas de tênis, além de promover festas muito alegres. Giorgio é um dos amigos da família, apesar de ser um judeu de classe média. Ele está apaixonado por Micol, mas ela parece brincar com o rapaz. Pior, chega a transar com um amigo de Giorgio enquanto ele assiste a tudo em silêncio. Mas eis que os italianos fascistas se aliam aos alemães nazistas, dando início à perseguição dos judeus. Os ricos Finzi-Contini irão abrir os portôes de sua mansão para abhrigar os amigos perseguidos.

16/12 – Terra de Ninguém (Land of the Blind. Direção: Robert Edwards. EUA, Inglaterra. 2006, 110 min)

Em uma penitenciária de um país distante está Thorne (Donald Sutherland), um prisioneiro político. Com o tempo ele cria amizade com Joe (Ralph Fiennes), o guarda da prisão, para quem conta seu passado de resistência política e sua tentativa em acabar com o sistema ditatorial local. Até que um pedido de Thorne gera um grande conflito entre ele e Joe, que faz com que os companheiros do guarda achem melhor apagá-lo da história.

06/01 – Terra e Liberdade (Land and Freedom. Direção: Ken Loach. Itália, Espanha, UK, Alemanha. 1986, 109min.)

Em meados dos anos 30, David Carr deixa a cidade de Liverpool para lutar por seus ideais na Revolução Espanhola. O sangrento embate entre os comunistas e fascistas, um dos fatos históricos mais importantes do século 20, serve de pano de fundo para as discussões humanistas do consagrado diretor britânico Ken Loach.

13/01 – O Novo Mundo (Golden Door. Direção: Emanuele Crialese. Itália/França, 2007, 118 min)

Um filme que conta a história da família Mancuso, originaria das montanhas da Sicilia, e que vende todos seus bens e abandona sua terra natal para embarcar numa viagem em busca de uma terra sonhada e nunca vista, que promete a conquista de riqueza e uma nova vida, o Novo Mundo, os EUA. Durante a viagem uma jovem inglesa, de origem misteriosa, Lucy, junta-se à familia Mancuso nesta longa jornada. Chegando lá as leis de imigração se tornam tão restritas que a família seria quase que certamente separada e enviada de volta para a Itália, e assim nem todos terão o privilégio de atravessar as portas do paraíso.

20/01 – M.A.S.H (M*A*S*H*. Direção: Robert Altman. EUA, 1970, 116min)

Durante a Guerra da Coréia, cirurgiões irreverentes e debochados, de uma unidade médica do exército americano, encaram o contexto da guerra de forma cômica e transformam a base deles em um lugar onde a irreverência está sempre presente.

27/01 – The Wall (The Wall. Direção: Alan Parker. Reino Unido, 1982, 95 min.)

As fantasias delirantes de Pink, um superstar do rock (Bob Geldof), que enlouquece lentamente em um quarto de hotel. Pink cresce em múltiplas psicoses. Vive no espaço que é rodeado pelo muro que ele próprio pariu. O muro que ele próprio faz crescer. Vê pedaços de madeira – a boiar no mar preto: fundo – na poesia e na música. Transforma-se, previsivelmente, num músico de sucesso e aumenta o número de tijolos do muro: com a fama e as drogas. Baseado no álbum homônimo do Pink Floyd, de 1979.

Cinema Político - 2/2010
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: